Matérias

[matéria][bigposts]

Entrevistas

[entrevista][bigposts]

Blog Moda Sertanejo

[blogdarádio][twocolumns]

Eduardo Costa lança coleção de NFTs


O mercado de NFTs vem crescendo cada vez mais e, com isso, atrai a atenção de investidores, Eduardo Costa aproveita o momento.

Uma camisa usada pelo Chorão, ex-vocalista da banda Charlie Brown Jr. foi disponibilizada como token não fungível e causou grande repercussão.

Agora, o sertanejo entrou na tendência, já que Eduardo Costa se tornou o primeiro artista do estilo musical a lançar a sua coleção de ativos digitais para o público.

O cantor vai disponibilizar para os fãs artigos e experiências únicas por meio da plataforma ICHELLO, startup de tecnologia e inovação, direcionada ao segmento musical, que tem à frente o produtor musical e gestor de carreiras artísticas, Bruno Perdigão.




Segundo o CEO, os compradores do NFT do artista poderão ter produtos físicos e experiências únicas. “Os fãs poderão ter acesso a camarim, dedicatória, vídeo do artista para quem comprar e outras possibilidades.

Mas, além de ser uma forma de ter algo exclusivo do Eduardo Costa, não podemos deixar de falar que é uma possibilidade de lucro para o comprador, até porque, são esses tipos de itens que têm levado muitos investidores a comprar os ativos digitais e revender posteriormente”, conclui Bruno Perdigão.

Camisa do Chorão

A vestimenta foi entregue ao economista George Cuesta pelo próprio vocalista do Charlie Brown Jr., em um show realizado no Teatro da Rádio Mix, em São Paulo, no ano de 2009.

A ideia de colocar o item presenteado pelo cantor Chorão como NFT surgiu quando a equipe da ICHELLO percebeu que a camisa era um produto com grande potencial. “A empresa apresentou uma proposta inovadora unindo música e arte, além de uma consultoria sobre o mundo de NFTs. Foi quando entendi que o item realmente possui um valor agregado e seria interessante torná-lo público e acessível.

Desta forma, me senti confortável em seguir os passos que tornariam então a peça em uma arte digital, além do item físico em si. A comunidade já não apenas entendeu, como se entusiasmou com o movimento iniciado pela iniciativa da ICHELLO.

Hoje a camisa está em posse da agência, todavia, espero que muito em breve esteja com o felizardo que terá a possibilidade de ter esse item consigo ao longo da vida”, conta.

NFT


ICHELLO

A startup de tecnologia e inovação foi criada para atuar focada no segmento da música. A experiência de Bruno Perdigão na área foi determinante, pois, além de ser produtor musical da dupla César Menotti & Fabiano, tem grande bagagem em produções e gestão de carreira para vários outros artistas, com mais de 23 anos de trajetória profissional. “É uma verdadeira revolução na música. Com a ICHELLO, uni minhas duas paixões, que é trabalhar com arte e empreender.

NFT é a palavra do ano e com certeza, será a palavra da vida de muitas pessoas”, profetiza o empresário.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Resenhamusical][twocolumns]